Reveillon na Villa Bahiana

Lagoa do Abaeté

A lagoa do Abaeté situa-se na área de proteção ambiental Parque Metropolitano Lagoas e Dunas do Abaeté, no bairro de Itapuã, em Salvador, na Bahia, no Brasil. “Abaeté” significa, em tupi, “homem verdadeiro”.

História

Lagoa de mistérios e encantos, muitas lendas surgiram em torno das águas escuras dessa massa de água doce cercada pelas alvíssimas areias de imensas dunas. A antiga lagoa de Itapuã, escondida em meio a belezas naturais, era reverenciada como sagrada pelos adeptos do candomblé.

Visitada por muitos turistas, todos temiam o banho em suas águas que, segundo se dizia, “engoliam”, em misteriosos rodamoinhos, cujos pontos eram do conhecimento de poucos. Eventuais mortes por afogamento apenas aumentavam essa aura de mistério.

O fato é que, por sua água doce, sustentada por nascentes que surgem no meio das dunas – e não pelo represamento da chuva, como um dia se acreditou – o Abaeté era usado por lavadeiras que, em suas margens, ajudaram a manter vivas muitas das tradições ancestrais que enriquecem a cultura de Salvador.

No final dos anos 1970, com a melhoria do acesso ao norte e a construção do Aeroporto Internacional 2 de Julho (hoje homenageando um ex-deputado), diversos loteamentos foram sendo instalados em suas imediações e o próprio bairro de Itapuã cresceu. Isso, somado a centenas de ocupações irregulares, provocou uma verdadeira devastação nas dunas, com a retirada de suas areias para a construção civil de forma clandestina e descontrolada.

Para conter a ação predatória do local e preservar as belezas naturais da lagoa, foi criada a área de proteção ambiental.

Parque

O parque Metropolitano Lagoas e Dunas do Abaeté foi criado em 3 de setembro de 1993, com uma área de 12 000 metros quadrados. Além das dunas e da lagoa, possui um centro urbanizado, onde as lavadeiras têm a sede de sua associação.

Localização e acesso

Situado a mais de dez quilômetros do Centro da capital, a principal via de acesso começa na ladeira Ibiama, em Itapuã e vai até a ladeira do Mirante, que termina justamente no mirante do Abaeté, de onde pode se ter uma vista ampla do parque.